Grupo PLANET encerra 2018 com nova rodada de aumento de capital de 34 milhões de euros | Planet Smart City | Places that matter
Related content
17/01/2019 Grupo PLANET encerra 2018 com nova rodada de aumento de capital de 34 milhões de euros

O Conselho de Administração da PLANET Holding fechou rapidamente um novo aumento de capital em 2018, consistindo em 34 milhões de euros de 193 acionistas, entre novos e antigos. O novo aumento de capital aconteceu após a primeira rodada de investimento de 10 milhões de euros, realizada em 10 de setembro de 2018, com a chegada de novos acionistas endossando um ambicioso plano de expansão.

O plano tem como objetivo acelerar a realização do projeto piloto da Smart City Laguna, em desenvolvimento no Ceará, com a construção de 6.500 unidades habitacionais na primeira cidade inteligente social do mundo, e lançar três novos projetos no Brasil nos próximos meses e 5 projetos em outros países caracterizados por um grande déficit habitacional acessível.

O formato de escala exclusivo da PLANET irá proporcionar uma expressiva mudança no mercado imobiliário residencial global, ao ser integrado a grandes projetos imobiliários, tecnologias eco sustentáveis, infraestruturas digitais e inovações sociais, oferecendo um fluxo de serviços exclusivos por meio de um aplicativo, o PLANET App. Os serviços de valor agregado facilitam a vida dos moradores do bairro inteligente, indo muito além das operações tradicionais de construção civil.

Gianni Savio (da esquerda) e Stefano Buono (da direita)

Gianni Savio, CEO Global do Grupo PLANET, comenta: “É impressionante ver como o modelo de negócios da PLANET foi tão rapidamente compreendido por um número grande de investidores institucionais e não institucionais e como a nossa base histórica de investidores é enriquecida por nomes relevantes dos mercados internacional, financeiro e industrial. Eu também estou particularmente feliz que 22 entre nossos funcionários investiram seu próprio dinheiro na empresa em que trabalham. Além dos projetos que já estão sendo lançados no Brasil, estamos analisando com grande interesse o mercado indiano, onde o déficit habitacional disponível é de 25 milhões de unidades.”

Stefano Buono, Presidente da PLANET Holding, declara: “Com esse aumento de capital, o número de acionistas da PLANET Holding chegará a 234, seguindo um modelo – que aprecio – de uma empresa privada, já operando como uma empresa de capital aberto. O desafio agora é ampliar rapidamente o comitê executivo para levar o Grupo à uma rápida expansão, aprimorando e replicando continuamente seu formato exclusivo de negócios em diferentes países e em muitos grandes projetos. Estou convencido de que os serviços oferecidos por meio da plataforma digital da empresa e do PLANET App serão os principais impulsionadores do desenvolvimento do Grupo. Vamos investir muito nisso.”

Grupo PLANET
A PLANET possui mais de 300 funcionários em todo o Reino Unido, Brasil e Itália. É uma líder global na integração de soluções inteligentes e práticas de inovação social na concepção e desenvolvimento de grandes projetos de habitação social.

O Grupo está realizando o projeto piloto Smart City Laguna, a primeira cidade inteligente social do mundo, consistindo em 6.500 unidades habitacionais, em uma área de 330 hectares. O projeto já está em estágio avançado de construção em São Gonçalo do Amarante, no Ceará, a 50 km de Fortaleza, e abrigará aproximadamente 25.000 habitantes.

A segunda cidade inteligente social do mundo foi anunciada no Brasil em setembro de 2018, na Região Metropolitana de Natal, no estado do Rio Grande do Norte, em uma área mais de 170 hectares.

O Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento do Grupo consiste na atividade da PLANET Idea, um Centro de Competência localizado em Turim (Itália), onde trabalham 50 profissionais com diferentes expertises e nacionalidades. Eles são especialistas em recursos do ecossistema, inovação social, IoT e planejamento urbano. A PLANET Idea atua como um laboratório interno de inovação para integrar soluções inteligentes nos projetos do Grupo, mas também nos projetos de parceiros, na Itália e no exterior. O Centro de Competência está atualmente assessorando os dois maiores fundos imobiliários italianos que desenvolvem novos bairros inteligentes em Milão (650 apartamentos) e Roma (950 apartamentos)

Habitações sociais
Uma habitação é definida como “social” quando a despesa média anual da família destinada ao aluguel ou a parcela do financiamento da casa própria não ultrapassa 30% da renda total. Mundialmente, os projetos de Habitações Sociais têm os principais requisitos: dimensões mínimas (a média de uma unidade habitacional é de cerca de 55 metros quadrados), acesso a água potável, sistema de esgoto, rede de distribuição de eletricidade e distância do local de trabalho, com tempo de deslocamento inferior a 1 hora.

Tradicionalmente na Europa, o problema da Habitação Social tem sido tratado de duas maneiras: projetos habitacionais públicos financiados pelo Estado ou intervenções de Habitação Social geridas por entidades privadas, como fundos de desenvolvimento imobiliário, fundações e cooperativas.